(34) 99969-0040 contato@diariodocerrado.com.br

Dinheiro, o tempo e o mercado

2021-12-03 14:18:43
Diario do cerrado: Dinheiro, o tempo e o mercado

Imagem: Unsplash

O dinheiro é sem dúvida uma das descobertas humanas mais antigas que existe.

Ele é o ativo utilizado para retratar e substituir o ativo mais escasso que temos: o tempo. Goste ou não, seu tempo é finito. Você, seja o ser humano mais abastado ou menos abastado do mundo, com absoluta certeza, tem as mesmas 24 horas que qualquer outro ser humano. E um dia não terá nem essas 24 horas.

Quando trabalhamos, seja para terceiros ou em negócios próprios, sempre, em todas as vezes, trocamos o nosso ativo TEMPO por dinheiro, que pode ser representado em moeda (dólar, euro, real, bitcoin, entre outras), por bens e/ou serviços que serão entregues ou feitos em troca, ou até por algo intangível e imensurável como satisfação própria (alegria, felicidade, sensação de “dever cumprido”). Perceba que, diferentemente do que acredita a maioria das pessoas, dinheiro não é só moeda. Dinheiro é tudo aquilo que gerou valor para você ao trocar seu tempo por algo.

O tempo, que mensuramos em escala (segundos, minutos, horas, etc), é um ativo finito, escasso e imutável. Ele é único. Você não viverá o tempo de 10 minutos atrás, provavelmente antes de iniciar esta leitura (que espero que te ajude de alguma forma). Entendendo o tempo como algo tão especial, tão único, tenderemos a dar valor a ele. Valor é algo subjetivo a cada pessoa (afinal a água no deserto é muito mais valorosa do que a beira de um rio). Se seu tempo é de fato valioso para você, então você provavelmente utiliza ele de forma a te render o maior dinheiro possível (lembre-se, dinheiro não é só moeda).

O mercado é, de forma resumida e certeira, troca de tempo por dinheiro. Quando você vai ao supermercado e compra uma mercadoria, naquele exato momento, você troca o seu dinheiro pela mercadoria. E essa mercadoria é o resultado do tempo de alguém que foi trocado pelo dinheiro do supermercado na compra dela. Ou seja, essa mercadoria levou o tempo de alguém. Normalmente trocamos alguns minutos de trabalho nosso para nossos clientes (que são nossos patrões, nossos contratantes, entre outros) para gerar o dinheiro suficiente para comprar uma mercadoria.

Sempre que quiser averiguar se algo está caro de verdade, contabilize o preço mostrado em tempo que você gastará para gerar o dinheiro para pagar aquele bem ou serviço. Só você poderá dizer se seu tempo vale mais que aquele preço ou se vale menos. Se valer menos, provavelmente você comprará. Se valer mais, você não comprará.

Por fim, lembre-se que ao gerar inflação o governo desvaloriza a moeda que você possui, desvalorizando assim o seu tempo de vida que usou para conseguir aquela moeda.

Sim, o governo desvaloriza sua vida, seu tempo, sua história, com a inflação. Lembre-se disso sempre que ouvir inflação. Cabe a você mudar isso colocando seu tempo em ativos que o governo não tem poder de influência. Hoje, sem sombra de dúvidas, o único existente com provas cabais é o bitcoin. E nele o seu tempo sempre se valorizará no longo prazo. Sempre.

 

Por Walter Guimarães

 

Siga  O DIÁRIO DO CERRADO no Facebook e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.

Se você quer anunciar no Diário do Cerrado e fazer bons negócios aqui é o seu lugar. Venha para o Diário do Cerrado - ”Aqui a Parceria é certa”. Fale agora - (34) 999690040 (WhatsApp)

Comentários

Envie seu comentário

COLUNISTAS

Walter Guimarães

Rev. Lúcio dos Reis

Kadidja Martins

Rodrigo Ferreira

Gustavo Brasileiro